ATO DO DIA 15/dez


Amanhã!!!!! Não deixem de ir!!!!

16 horas: em frente ao TJRJ

17 horas: em frente à ALERJ

É importante que demonstremos a nossa indignação através da presença. Passem, ao menos no final do dia de trabalho, na ALERJ. Com certeza estaremos ainda lá e precisamos nos unir nesse momento delicado.

Veja o texto abaixo (fonte: www.sindjustica.org.br)

EXPLICANDO O ATO DO DIA 15

Por Direção Geral em 11/12/2015

1) Por que realizar este ato às vésperas do recesso?

Não se trata de um ato isolado. É o resultado da união de diversas entidades de servidores, que assinam em conjunto o manifesto contra as arbitrariedades do Estado. Não é fácil reunir e fazer uma convergência de interesses entre entidades tão distintas do Judiciário, Legislativo e Executivo. Foram necessárias muitas reuniões para programarmos e formatarmos o ato, além de precisarmos de tempo para a mobilização das respectivas categorias.

2) Este ato surtirá efeito?

A resposta é: depende de você! Se você esperar que outros lutem pelos seus direitos ou que outros ponham a cara na reta para que você possa receber seu décimo terceiro e seu pagamento em dia, o ato será um fracasso. Se você sair do comodismo e da internet e passar a lutar pelos seus direitos, o Tribunal muda, o Estado muda, o país muda. Simples assim. Não espere que o esforço de outros mude a sua vida. Assuma você as rédeas do seu destino e mostre que tem garra para lutar por respeito, dignidade e pelo alimento da sua família. [...]

3) Dia 15 é greve ou paralisação?

Nem uma coisa nem outra. É um ato pacífico e ordeiro, [...] tampouco aceitaremos que o Governo estadual parcele pagamento ou deixe de pagar o nosso décimo terceiro. Assim, os colegas devem discutir com as suas chefias a reposição do horário em que estará lutando pela categoria, inclusive pelo chefe. [...]

4) O contracheque do 13° já está no site. Então está garantido o pagamento?

Não. O Tribunal tem a obrigação de rodar a folha e encaminhar ao Estado. A obrigação de pagar é do Executivo, que administra os recursos que dizem não ter. Só vamos ter certeza quando o dinheiro estiver na conta. Como sempre acontece em nossos atos, surgirão boatos de toda sorte para desmobilizar a categoria. Alguns boatos virão do próprio Estado, para assustar as categorias; outros boatos virão da nossa eterna oposição, que sempre aproveita os movimentos da categoria para, em vez de bater no Estado, bate no Sindicato, para capitalizar politicamente. Seja maduro. Não se deixe enganar por discursos fáceis e oportunistas.

5) Qual a programação do ato?

Como todos sabem, nossos atos são organizados e funcionam pontualmente, em respeito aos colegas que viajam de longe para participar. O ato está programado para 16h, em frente ao tribunal de Justiça. [...] Avisamos a todos que não haverá bandeiras partidárias ou de centrais ou de qualquer outra entidade ligada a qualquer interesse que não seja a luta da categoria. Este ato se encerrará às 17h.

A seguir, às 17h, vamos para a frente da Alerj, juntamente com as demais categorias, para lutarmos contra as mudanças que o governo estadual vem implementando, como mudança do pagamento para o 5° dia útil, parcelamento de pagamento, não garantia de 13° e falta de moralidade no trato da coisa pública. Este ato não tem hora para acabar, por se tratar de muitas entidades envolvidas e a tendência é haver dificuldade para controlarmos a quantidade de falar. Ademais, precisamos que este ato chame a atenção da mídia, para chegar às autoridades.

6) Haverá camisa para o ato?

[...] Como a quantidade de pessoas será muito grande, com a adesão de outras entidades, provavelmente não haverá camisas para todos. Então, sugerimos que já venham com camisas pretas.

7) Qual a pauta do ato?

Temos uma pauta interna e outra externa.

Pauta Interna (pontos principais):

[...]

Pauta Externa (pontos principais):

• Pagamento do 13°

• Não ao parcelamento

• Não ao pagamento no 5° dia útil

• Não ao fim da estabilidade

• Redução dos cargos comissionados

• Moralidade no governo

• Respeito ao servidor

[...]

9) Qual a real situação do Estado?

As versões divulgadas pelo Governo apresentam verdades e mentiras. A verdade reside no fato de que o Estado, de fato, atravessa dificuldades financeiras. Servidores recebem parceladamente. O 13° não está garantido. Escolas em todo o Estado têm a luz cortada por falta de pagamento. Verdade.

As mentiras estão na explicação da crise. O Estado alega não ter dinheiro, mas já gastou mais de 5 BILHÕES com Olimpíadas (o custo total dessa megalomania já ultrapassou 32 BILHÕES DE REAIS) e quer pagar a conta de luz da Supervia, que pertence à bilionária empreiteira Odebrecht, no valor de 39 milhões de reais.

O governo do Estado já começou a falar em fim da estabilidade do servidor, imputando aos trabalhadores a culpa pela desorganização e roubalheira desenfreada no Estado que ocorrem há anos. Não vamos aceitar isso.

Então, se há dinheiro para empreiteiras, há para servidores. Se há crise, esta crise tem que atingir as bilionárias empreiteiras que vivem de propinas pagas aos governantes. O problema não é a falta de dinheiro, mas de prioridade. O governo tem as prioridades erradas. E nós vamos mostrar isso no dia do ato.

10) Posso levar outras pessoas ao ato?

Embora seja um ato organizado por servidores, todos temos a obrigação de trazer parentes e amigos para ajudar a lutar contra este governo perdido, que tenta transferir a nós e às nossas famílias a culpa pela desorganização e corrupção que dilapidam os cofres públicos. Precisamos que os nossos APOSENTADOS compareçam em massa também, pois a luta é de todos e o Rio Previdência, que paga os proventos, é o maior prejudicado pela crise. Quanto mais gente, maior a visibilidade do ato e maior a chance de mudarmos um quadro assustador que se avizinha. 2016 pode ser terrível para a categoria. Ou não. Depende de você.

Featured Posts
Recent Posts
Siga-nos
Search By Tags
Archive
  • Facebook Basic Square
  • Facebook Basic Square

Av. Marechal Câmara, 314 3º andar - CEP 20020-080 - Centro, RJ

© 2016 por ASDPERJ.

Todos os Direitos Reservados